Fluam, Minhas Lágrimas, Disse o Policial – Philip K. Dick

fluam minhas lágrimas disse o policial

Fluam, Minhas Lágrimas, Disse o Policial (Título original: Flow My Tears, The Policeman Said em Portugal: Vazio Infinito e Identidade Perdida, No Brasil também publicado como: Identidade Perdida – O Homem que Virou Ninguém) é um romance de ficção científica escrito por Philip K. Dick e publicado em 1974,  tendo recebido o primeiro prêmio do John W. Campbell Memorial Award de melhor romance de FC em 1975. Foi também indicado para o Prêmio Nebula em 1974 e para o Prêmio Hugo em 1975.
É uma estória sobre um cantor de música pop e astro de um show de televisão geneticamente modificado (Jason Taverner) que, após o ataque de uma antiga namorada, acorda em um hotel barato de um bairro pobre e descobre que perdeu sua identidade –  literalmente, pois não apenas está sem documentos, como ninguém mais o conhece, sua existência foi completamente apagada. A estória transcorre numa distopia futura, onde os EUA tornaram-se um estado policial opressor depois de uma Segunda Guerra Civil, e mostra a tentativa de Jason em recuperar sua identidade e tentar entender o que aconteceu com sua vida.
Assim como em outros livros de Philip K. Dick, ele mostra que não dá a mínima para questões tecnológicas em suas visões do futuro, ao contrário de outros autores de sua época, como Arthur C. Clarke, que seguiram pelo ramo da ficção científica hard. Por exemplo, ele retrata carros voadores como coisas populares nos anos 80, no estilo do desenho animado Jetsons e LPs  de vinil são mostrados como a forma definitiva de gravação e reprodução musical.  Mas o valor de Philip K. Dick não são suas previsões tecnológicas, mas sim suas ideias e Fluam, Minhas Lágrimas, Disse o Policial é um livro cheio de ideias.
O mundo distópico imaginado por Philip K. Dick é uma sociedade policial opressora onde os estudantes universitários vivem escondidos nos subterrâneos das universidades, que estão sitiadas, onde pessoas são enviadas para campos de trabalho forçado ou executadas. Os negros tiveram seus direitos cassados, e os poucos que restaram foram esterilizados.
A prosa de Dick segue seu estilo utilitário que é comum em outros de seus livros, e todos os personagens parecem estar sob influência de drogas em algum nível. Isso não é uma crítica ao estilo do autor, apenas considero isso como parte de seu estilo, ajuda a compor a estranheza inerente a seus livros. Em determinado momento, por exemplo, Jason Taverner subitamente e sem nenhuma razão aparente diz que uma mulher com que acabou de passar a noite parece muito velha para sua idade e recebe uma pancada na cabeça como prêmio. Em outro momento, o chefe da polícia que está caçando Jason Taverner desce em um posto de gasolina no meio do nada e ao ver um dos poucos negros sobreviventes desenha um coração com uma flecha no meio para entregar ao homem, e depois debulha-se em lágrimas e o abraça.
Espero que as predições de futuro totalmente furadas de Philip K. Dick não dissuadam ninguém de ler esse e outros livros do autor, pois considero que o trabalho de um bom autor de FC não é predizer o futuro mas sim prover material para refletirmos sobre a vida.
Fluam, Minhas Lágrimas, Disse o Policial é um excelente livro que cumpre bem esse papel, fazendo com que questionemos a nossa realidade e a forma como percebemos nós mesmos e os outros e como nossa percepção afeta nossas relações sociais e relacionamentos pessoais

Do Humans Dream of Other Realities? – Tibor moricz

2014-07-14 16 49 14

Do Humans Dream of Other Realities? de Tibor Moricz, é um conto de ficção científica escrito para fãs de Philip K. Dick. Para quem não conhece (e isso incluía a mim até ontem), Tibor é um paulistano filho de húngaros nascido em 1959. É publicitário e escritor, tendo escrito também Síndrome de Cérbero (2007), Fome (2008) e O Peregrino (2011). Recebeu prêmios em concursos literários e já publicou vários contos em revistas virtuais e impressas. Esse livro faz parte da coleção Contos do Dragão, da Editora Draco, que é o maior acervo de contos publicados de forma individual do Brasil no formato digital.
O personagem principal chama-se Philip K. Dick, que vive em um mundo dominado pelos androides, e onde a humanidade foi escravizada após muitos anos de guerra e vive em campos de trabalho forçado em Marte. Os modelos de androides mais avançados são os Nexus 7, que caçam implacavelmente humanos foragidos na Terra. Philip foge para a Terra, e é perseguido por Polokov, um ambicioso androide caçador de recompensas. As referências à obra de Philip K. Dick não se limitam ao livro Do Androids Dream of Electric Sheep? (veja meu review aqui), sendo que Timor brinca bastante com a vocação de Philip em criar realidades alteradas. Philip, chega na Terra munido apenas de uma pistola laser e uma cópia surrada do livro O Homem do Castelo Alto (veja meu review sobre esse excelente livro aqui).
É um bom conto, escrito de forma muito competente por Tibor Moricz, mas infelizmente é muito curto. Li durante aquele jogo horrível Brasil x Holanda, a maior parte durante o segundo tempo.
A única crítica que faço é quanto a alternância da narrativa entre Polokov e Philip K. Dick, que é muito rápida, mas nada que incomode muito.
Recomendo a leitura!

O Homem do Castelo Alto – Philip K. Dick


cover

O Homem do Castelo Alto (The Man in the High Castle) é uma estória de distopia, romance e ficção científica escrito em 1962 por Philip K. Dick.
A estória se desenrola em um Estados Unidos de 1962, quinze anos após as potências do eixo (Alemanha, Itália e Japão) derrotarem os Aliados na Segunda Guerra Mundial.
Como resultado da derrota os Estados Unidos foram ocupados em parte pela Alemanha Nazista e pelo Império do Japão.
É uma importante obra de distopia, tendo ajudado a definir outras obras futuras do gênero. Foi vencedor do Prêmio Hugo de 1963, na categoria Melhor Romance tornando Dick conhecido nos meios de ficção científica.

Veja um mapa da situação dessa realidade alternativa imaginada nesse livro (clique para aumentar):

Man_In_The_High_Castle_map

Sinopse

O ponto de divergência entre a história e a ficção de Philip K. Dick foi imaginado como sendo o assassinato de Franklin D. Roosevelt em 1933, que foi então sucedido pelo vice-presidente John Nance Garner, e após por John W. Bricker. Ao contrário de Franklin D. Roosevelt, eles não foram capazes de superar a Grande Depressão, e ambos seguiram uma política isolacionista evitando se envolver com a segunda guerra mundial. Com isso os Estados Unidos não auxiliaram o Reino Unido e a União Soviética contra a Alemanha Nazista, e tiveram que enfrentar apenas o Império Japonês, entrando em guerra em 1941. Então a URSS caiu em 1941 sendo ocupada pelos nazistas, e a maioria do povo eslavo foi exterminado. O povo eslavo sobrevivente foi fechado em regiões isoladas, tendo regredido a algo semelhante à situação da época da idade média.
Os japoneses derrotaram completamente os Estados Unidos no ataque de Pearl Harbor, expandiram seu poder naval, ocuparam o Havaí, Austrália, Nova Zelândia e o Sudoeste do Pacífico, e posteriormente até mesmo os EUA caíram sobre o domínio do Eixo.
A Costa Leste dos EUA ficou sobre controle alemão, enquanto a Costa Oeste ficou sobre domínio Japonês. A região do meio-oeste e sudoeste permaneceram sofrendo forte tensão tanto dos nazistas como dos japoneses.
Tanto o Japão como a Alemanha tornaram-se as novas superpotências, e entraram em uma Guerra Fria equivalente a enfrentada pelos EUA e URSS na nossa realidade.
Depois de Hitler ter sido incapacitado pela Sífilis (Philip K. Dick realiza aqui alguma justiça poética!), o novo chanceler nazista foi Martin Bormann, que prosseguiu com o Império Colonial da Alemanha, massacrando raças consideradas inferiores, assassinando judeus pelo mundo, inclusive no que restou dos EUA, e realizando um genocídio maciço na África.
A Alemanha fortaleceu sua posição tecnológica, e o programa de mísseis avançou consideravelmente, de forma que em 1962 eles tinham um sistema funcional de foguetes comerciais, utilizados nas viagens intercontinentais (uma viagem de Tóquio à São Francisco levava menos de 45 minutos), e também avançaram na exploração espacial, enviando missões à Lua, Vênus e Marte, sendo que o primeiro homem a pisar em Marte foi um alemão nazista em 1950, e agora partem para colonização do sistema solar.
A televisão é a mais nova inovação tecnológica da Alemanha.
O Império Japonês não tem o mesmo desenvolvimento tecnológico da Império Nazista.
A morte do chanceler alemão inicia a corrida pelo poder na Alemanha, e Joseph Goebbels (o ministro da propaganda de Hitler) disputa com Reinhard Heydrich o poder.
Nesse cenário conturbado, um livro proibido – escrito pelo “Homem do Castelo Alto” – toma conta da imaginação das pessoas por descrever um mundo onde a guerra não foi vencida pela Alemanha.
O I Ching, o milenar oráculo chinês, tem um papel fundamental na vida das pessoas e até nessa ficção dentro da ficção, escrita pelo Homem do Castelo Alto.

Considerações sobre o livro

O livro não mostra uma história linear, pois cada personagem segue sua própria vida, com ligações diretas ou indiretas entre eles, muitas vezes ligações que eles não percebem. Três dos personagens principais usam intensamente o I Ching para orientar suas vidas.
A utilização do I Ching é muito intensa tanto pelos japoneses como pelos americanos.
Philip K. Dick, em uma entrevista, revelou que consultou o I Ching diversas vezes para realizar escolhas no desenvolvimento do roteiro.
O livro pode ser considerado uma distopia considerando uma linha alternativa da história, e Philip K. Dick realiza um trabalho muito competente que nos faz refletir a todo momento sobre como o mundo poderia ser se Hitler tivesse vencido.
Recomendo a leitura deste livro, que é um dos melhores deste autor!

Ubik – Philip K. Dick

ubik_frente_alta

Ubik é um romance de ficção científica do célebre autor norte americano Philip K. Dick, publicado pela primeira vez em 1969. Pode ser descrito como uma estória de horror existencial profundamente desconcertante, uma espécie de pesadelo de onde você nunca tem certeza de ter acordado. Assustador? Nada disso, é um livro extremamente interessante. Com bastante humor e psicodelia.

Introdução ao Roteiro (com spoilers)

O ano é 1992,  nesse futuro distante (lembre-se que a estória é de 1969) a tecnologia avançada permite a exploração espacial privada, e fenômenos psíquicos são extremamente comuns. O protagonista, Joe Chip, é um técnico de uma corporação conhecida como ¨Prudence¨ que emprega pessoas com poderes psiquicos, como anti-telepatas, precogs (sim, como em Minority Report), e outros para garantir privacidade quando for requerida. Runciter é o presidente da empresa, e conta com a assistência de sua esposa falecida Ella, que é mantida em um estado de ¨meia-vida¨, uma forma de suspensão criogênica que permite ao falecido manter uma consciência limitada e certa capacidade de comunicação.
Um magnata conhecido como Stanton Mick contrata a empresa de Runciter para garantir a segurança de sua base lunar, prevenindo ataques de telepatas. Runciter convoca onze agentes para a tarefa. O grupo inclui Pat Conley, uma misteriosa jovem com poderes sem precedentes que permite alterar o passado.
Quando a equipe de Runciter chega à Lua, descobrem que foram atraídos para uma armadilha, e são vítimas de um ataque de uma empresa rival que aparentemente mata Runciter, sem ferir os outros.
Então coisas estranhas começam a acontecer quando eles retornam para a terra com o corpo de Runciter e tentam colocá-lo em estado de ¨meia-vida¨.
Não vou falar mais para não estragar a sua leitura!

Considerações sobre o livro

O livro é mostra Philip K. Dick em excelente forma, onde ele escreve sobre um dos seus temas preferidos: Realidades Alteradas. O uso de telepatas, precogs e outros poderes psíquicos também são comuns em suas obras, como no livro Minority Report.
Coisas estranhas começam a acontecer após o acontecido na Lua, como alteração da realidade e envelhecimento misterioso de objetos. Primeiro o café, o leite, depois coisas como geladeiras, carros e até cidades inteiras começam a regredir décadas.
Ubik é uma misteriosa substância em aerosol, que parece ser a salvação para o estranho mundo em que Joe Chip é atirado, e o nome deriva de Ubiquidade que é capacidade divina de estar ao mesmo tempo em todos os lugares.
Nada é o que parece nessa estória recheada de bom humor, psicodelia, ironia e mistério.
Recomendo a leitura!

The First Science Fiction Megapack – Vários autores

9781434443946_p0_v1_s260x420

Confesso que comprei só porque estava muito barato: R$2,00! Mas olhando com mais calma percebo que é uma ótima coletânea de contos de ficção científica, de autores consagrados como Poul Anderson, Philip K. Dick, Robert Silverg, Marion Zimmer Bradley. O livro já vale a pena apenas por essas jóias incrustadas no meio dessas 459 páginas.
Nesse primeiro volume temos os seguintes contos:

  • UNKNOWN THINGS, by Reginald Bretnor
  • CAPTIVES OF THE FLAME, by Samuel R. Delany
  • EXPEDITER, by Mack Reynolds
  • ONE-SHOT, by James Blish
  • SHIPWRECK IN THE SKY, by Eando Binder
  • ZEN, by Jerome Bixby
  • LANCELOT BIGGS COOKS A PIRATE, by Nelson Bond
  • SENTIMENT, INC., by Poul Anderson
  • THE ISSAHAR ARTIFACTS, by J. F. Bone
  • THE NEXT LOGICAL STEP, by Ben Bova
  • YEAR OF THE BIG THAW, by Marion Zimmer Bradley
  • EARTHMEN BEARING GIFTS, by Fredric Brown
  • HAPPY ENDING, by Fredric Brown and Mack Reynolds
  • LIGHTER THAN YOU THINK, by Nelson Bond
  • RIYA’S FOUNDLING, by Algis Budrys
  • ACCIDENTAL DEATH, by Peter Baily
  • AND ALL THE EARTH A GRAVE, by C. C. MacApp
  • DEAD RINGER, by Lester del Rey
  • THE CRYSTAL CRYPT, by Philip K. Dick
  • THE JUPITER WEAPON, by Charles L. Fontenay
  • THE MAN WHO HATED MARS, by Randall Garrett
  • NAVY DAY, by Harry Harrison
  • THE JUDAS VALLEY, by Robert Silverberg & Randall Garrett
  • NATIVE SON, by T. D. Hamm
  • JUBILEE, by Richard A. Lupoff
  • FINAL CALL, by John Gregory Betancourt

É uma pena que não existe possibilidade de tal coisa ser traduzida para o português, e como estou com pouco tempo sobrando vou começar lendo apenas esses contos:

Sentiment, Inc., by Poul Anderson

É uma estória curta que está em domínio público (aqui você encontra em todos formatos digitais).
Para os bem relacionados e ricos, o Dr Robert Kennedy da Sentiment, Inc. poderá convencer qualquer garota a se apaixonar, simplesmente rearranjando algumas sinapses no cérebro dela.
Mas Colin Fraser não vai aceitar tão facilmente quando a garota com quem ia se casar for convertida pelo Dr. Kennedy a se casar com outra pessoa. Ele está determinado a conseguir reconquistar sua namorada. Quem poderia imaginar que ele acabaria por descobrir uma esquema de espionagem internacional?

The Crystal Crypt, by Philip K. Dick

No futuro Marte transformou-se em uma colônia que não tem mais nenhuma afinidade com a Terra. Uma guerra está prestes a eclodir, e a última nave com os terráqueos que restavam em Marte parte quando é abordada por militares marcianos liderados por um Leitre, um oficial de alto ranking, que esta à procura de três terráqueos que causaram a destruição da maior cidade marciana com uma arma misteriosa que simplesmente desapareceu com ela sem deixar vestígios.
Após todos passageiros passarem por um detector de mentiras infalível, e os marcianos liberarem a nave, os três terráqueos responsáveis pelo atentado terrorista encontram-se no bar da nave e contam para outro terráqueo que acabaram de conhecer o que fizeram com a cidade (e como passaram pelo detector de mentiras).

The Judas Valley, by Robert Silverberg & Randall Garrett

No futuro quando a exploração de outros sistemas planetários esta apenas começando, um elemento raro é o santo graal dos exploradores: Berílio de Núcleo Duplo.
Uma equipe descobre um grande depósito em Fomalhout V, mas quando saem para explorar o local todos morrem exceto um homem que consegue fugir ao ver todos mortos espalhados nas proximidades da nave.
Uma missão com sessenta pessoas é enviada para continuar a exploração do local.
Eles estão prestes a descobrir que existe uma espécie vivendo no solo com um forte veneno hipnótico que gostou muito do sabor da carne humana e quer mais um pouco!