Limites da Fundação – Isaac Asimov

imagemLimites da Fundação (Fundation’s Edge), foi escrito por Isaac Asimov em 1982 tendo recebido o Prêmio Hugo de melhor romance em 1983. Apesar de ser o quarto livro escrito por Asimov da série Fundação, na ordem estabelecida pela cronologia do universo Fundação este é o sexto livro da série:

Para mais informações sobre a cronologia dos universos Robôs, Mundos Espaciais, Império Galático e Fundação, desenvolvi esta planilha: Cronologia da Fundação. Acredito que é uma boa referência para auxiliar na leitura e compreensão da interligação existente entre os livros de Asimov.
O próprio autor reconhece que decidiu dar sequência à trilogia Fundação devido a pressão dos fãs, mas que o principal motivo foi o valor oferecido pela editora. Esse foi o primeiro livro de Asimov a entrar na lista dos Best Sellers do New York Times, após ter escrito cerca de 262 livros em 44 anos de carreira.
Mas não pense que Asimov decidiu com isso transformar sua série em um caça-níquéis, como tantos autores costumam fazer. Na verdade ele conseguiu com esse livro elevar ainda mais a profundidade e importância do universo Fundação na ficção científica, e conseguiu popularizar ainda mais sua obra.

Introdução ao Universo Fundação

Fundação é uma série de ficção científica que conta com detalhes a estória de um futuro distante onde uma instituição chamada Fundação Enciclopédica teria influenciado o destino de toda humanidade na nossa galáxia.
Asimov decidiu escrever o primeiro livro da série para descrever o que seria o fim do Império Galático, inspirado na queda do Império Romano. Da mesma forma a ascensão da Fundação Enciclopédica representaria o início de uma era orientada pelo conhecimento científico, mais justa e que possibilitasse a evolução do espírito humano, assim como a Renascença.
O personagem principal da série é Hari Seldon, que desenvolveu a Psico-história (uma nova ciência que reúne a sociologia e matemática). Através de complexas fórmulas matemáticas Seldon conseguia prever acontecimentos futuros e assim tentar evitar que alguns eventos acontecessem.
Apesar do ser humano ser considerado imprevisível individualmente, a teoria de Seldon ao trabalhar com populações da ordem de milhões ou bilhões mostrou-se válida, e mostrou então previsões sombrias para o futuro da humanidade. Ele decidiu utilizar sua teoria para orientar a humanidade em direção a um futuro melhor, e a Fundação foi o meio que ele imaginou para conduzir o processo.

Introdução ao Roteiro 

O livro Limites da Fundação está situado 500 anos depois do estabelecimento da Fundação. O Plano de Seldon está indo muito bem e a Primeira Fundação está no auge de sua força já tendo dominado todos os planetas vizinhos através de sua tecnologia superior e força militar. Acredita-se que a ameaça do controle da mente da Segunda Fundação foi eliminado e que existe agora apenas uma Fundação prosperando. Mas Golan Trevise, um membro do Conselho, começa a suspeitar do Plano de Seldon, pois considera que as coisas estão indo bem demais para ser verdade. Ele considera impossível que as coisas sempre aconteçam de acordo com um plano, que o normal é a existência de desvios.
Golan acredita que a Fundação está sendo sub-repticiamente  controlada pela temível Segunda Fundação, e que esta vem trabalhando no verdadeiro Plano de Seldon e que pretendem em breve assumir o comando do futuro da humanidade.
A ideia não é bem recebida pelos seus iguais, e ele é sumariamente expulso do planeta Terminus com a missão secreta de tentar localizar a Segunda Fundação e acabar com ela de uma vez por todas.

Considerações sobre o livro

A maior força de Asimov são suas ideias épicas, sua capacidade de construir mundos e enredos; talvez como nenhum outro autor na ficção científica.
É maravilhoso entrar nesse mundo imaginado por Asimov: A sociedade telepática da Segunda Fundação, o estranho povo de Gaia, a forma sutil como ele introduziu os robôs e suas famosas “Três Leis da Robótica” no universo fundação, além de uma esperta explicação para ausência de alienígenas nesse universo.
Apesar de muitos criticarem a prosa de Asimov (assim como de outros autores da Golden Age da FC), acho uma injustiça tentar comparará-lo com grandes nomes da literatura como Dickens ou Dostoyevsky. Sua prosa pode não ser genial ou erudita, mas é muito competente e respeita muito a inteligência dos leitores. Seus diálogos são inteligentes, espirituosos e cheios de observações sarcásticas. Asimov criou alguns personagens memoráveis em outros livros, como Hari Seldon, O Mule, Susan Calvin, Elijah Baley e R. Daneel Olivaw. Em Limites da Fundação conseguimos facilmente adicionar Golan Trevize como mais um grande personagem nesse rol de personagens que sempre lembraremos com carinho.
O clímax de Limites da Fundação é genial, e o epílogo deixa o leitor na expectativa de prosseguir a leitura de Fundação e a Terra. Asimov mostra grande entusiasmo em suas histórias, e é impossível não sentir-se infectado pela sua imaginação.

Anúncios

Cronologia para o Universo Robôs, Império Galáctico e Fundação de Isaac Asimov

Isaac Asimov criou um dos universos mais ricos e imaginativos da história da ficção, com as séries Robôs, Império Galáctico e Fundação. Mesmo que originalmente ele não tenha imaginado as séries como uma coisa só, ou com uma cronologia bem definida, e que no início ele não tenha imaginado o tamanho que sua obra atingiria, ele tentou em vida unir sua obra em uma linha do tempo.

O trabalho de montar uma cronologia não é simples, e alguns elos foram preenchidos por outros escritores que continuaram a obra de Asimov (com a autorização dos herdeiros).

Segue abaixo uma compilação que fiz baseada em material encontrado na Wikipédia e outros locais, clique na imagem para expandir ou no link para baixar a planilha.

ATENÇÃO: Algumas informações abaixo podem ser consideras Spoilers. Ocultei a coluna D onde faço pequenos comentários sobre os eventos dos livros.

Cronologia da Fundação