The Battle of Corrin – Brian Herbert e Kevin J. Anderson

Assim como os outros livros de Lendas de Duna (a Jihad Butleriana e The Cruzade Machine), The Battle of Corrin também conta com uma narrativa empolgante e muito bem escrita. Um bestseller reconhecido internacionalmente (exceto no Brasil, claro, onde sequer foi traduzido ou publicado).

Cinqüenta e seis anos se passaram desde os eventos descritos em The Cruzade Machine, a cruzada pela destruição das máquinas pensantes já dura muitos anos, mas as forças lideradas por Serena Butler e Irbis Ginjo conseguiram apenas pequenas vitórias; os mundos seguem abalados pela guerra, pela opressão das máquinas e dos cymeks, e vitórias são seguidas por derrotas.

Os temíveis cymeks, liderados pelo titã Agamemnon, criam novos planos para recuperar seu poder e libertarem-se de Omnius, a supermente que controla a maior parte da galáxia.

Aurelius Venport e Norma Cenva estão prestes conseguir a maior descoberta da história da humanidade – uma forma de dobrar o espaço e viajar instantaneamente para qualquer lugar da galáxia, e com isso formar o império comercial da CHOAM.

Omnius tem um plano terrível para exterminar a humanidade: criar um retrovírus e espalha-lo pela galáxia, devastando os mundos não-sincronizados.

Raquella, uma neta de Vorian Atreides, numa tentativa de salvar as feiticeiras de Rossak de uma variedade mutada da praga de Omnius, atravessa uma série de eventos que culminarão na formação do embrião da Irmandade das Bene Gesserit, com suas capacidades de manipulação biológica e genética.

Vorian atreides, filho renegado do titã Agamemnon, firma-se como o Supremo Comandante do Exército da Humanidade, e conta com a ajuda de Abulurd Harkonnen, neto de Xavier Harkonnen, mas uma traição inesperada (que ficou conhecida como travessia da Ponte de Corrin) atira as duas famílias originalmente amigas em uma espiral de ódio que durará séculos.

No isolado e inóspito mundo de Arrakis, Ismahel, um refugiado de Poritrin, continua a obra de Selim Montador-de-vermes e seu bando de foras da lei dando os primeiros passos para se transformarem nos temíveis guerreiros que irão mudar o curso da história no futuro: Os Fremen.

The Battle for Corrin conclui de forma grandiosa a série Lendas de Duna, e ajuda a compreender as forças que atuam no universo de Duna séculos depois: A Irmandade Bene Gesserit, a companhia CHOAM, o surgimento da Casa Corrin e do novo império, das casas Atreides e Harkonnen e do motivo de seu ódio mútuo, e o surgimento das escolas de Médicos Suk e dos Mentats.

Brian Herbert não é um autor de ficção científica realista, e o melhor exemplo disso é a forma que ele descreve as viagens interplanetárias com propulsão convencional : viagens para planetas a milhares de anos luz, sem efeitos de dobra espacial, só poderiam ser feitas a velocidades relativísticas com sérias consequências de dilatação temporal e mesmo assim levariam milhares de anos para ser feitas, mas no livro uma viagem de Salusa Secundus para Corrin leva cerca de um mês! Tudo bem, isso é ficção, mas esse tratamento pouco científico me incomoda um bocado! Prefiro logo a extrapolação que as viagens de dobra espacial possibilitam: antes uma tecnologia ficcional improvável que uma incorreta aplicação de ciência atual!
Uma leitura deliciosa para quem leu Duna e sempre quis saber como a humanidade culminou na sociedade complexa imaginada inicialmente por Frank Herbert.

Anúncios

Um comentário sobre “The Battle of Corrin – Brian Herbert e Kevin J. Anderson

  1. Pingback: Duna – Frank Herbert | Leituras Paralelas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s